Kinopus recebe inscrições de estagiários para o projeto Dramátika

A produtora Kinopus recebe até a próxima segunda-feira, dia 22/10, currículos de interessados em participar do Núcleo de CineDramaturgia Dramátika, uma iniciativa da produtora em parceria com o Sesi Cultura Paraná. O Dramátika prevê a produção de uma peça e de um longa-metragem de 75 minutos aproximadamente com data de estreia em Londrina para os dias 07/12 (versão teatro) e 08/12 (versão cinema). Os interessados devem manifestar interesse nas áreas de cenografia, iluminação e/ou figurino, e enviar um email com seu currículo para info@kinopus.com.br, deixando claro (por ordem de preferência) as suas áreas de interesse. O resultado será divulgado na terça, dia 23/10, na página da Kinopus em suas redes sociais (Facebook e Instagram). Os alunos selecionados terão direito a um certificado de 60 horas a ser emitido pelo Sesi Londrina, e irão participar das filmagens do projeto nos dias 03, 05, 06 e 07/11, além da encenação teatral nos dias 06 e 07/12. Para esse projeto serão abertas 12 vagas – não é obrigatório ter experiência comprovada na área para se inscrever. A única restrição é a idade mínima de 18 anos para cada interessado.

Sobre o Dramátika
Idealizado e coordenado pelo cineasta Rodrigo Grota, Dramátika é um Núcleo Criativo que tem como objetivo investigar as relações entre cinema e teatro em uma linguagem não-realista: 17 atores integram o projeto desde março, tendo realizado 5 leituras dramáticas e participado dos ensaios de 5 cenas escritas e dirigidas pelo coordenador do projeto, Rodrigo Grota, e outros 4 diretores convidados: Guilherme Peraro, Jackeline Seglin, Marina Stuchi e Renato Forin Jr. O projeto ainda conta com direção de fotografia e iluminação teatral de Anderson Craveiro, direção de arte e cenografia de Julio Vida, figurinos de Thais Blanco, produção executiva de Guilherme Peraro, direção de produção de Rafaela Pifer, assistência de Coordenação Geral de Laura Lopes, montagem de João Vítor Moreno, entre outros profissionais que devem integrar o projeto até a sua fase final em dezembro.

Sobre a Kinopus
Criado em abril de 2004, a Kinopus já produziu 2 longas, 2 séries de TV, e uma série de filmes de média e curta-metragem, conquistando mais de 60 prêmios em festivais nacionais e internacionais. Coordenada pelos cineastas Guilherme Peraro e Rodrigo Grota, a produtora conta ainda com projetos de formação (Oficinas Kinopus), exibição (Sessão Kinopus, Mostras) e preservação. Em 2019, a Kinopus irá rodar o seu 3º longa-metragem: o filme sci-fi Passagem Secreta.

Advertisements

Núcleo de Cinedramaturgia DRAMÁTIKA apresenta ‘Apenas o fim do Mundo’

Escrito pelo francês Jean-Luc Lagarce em 1990, Apenas o Fim do Mundoé uma dramaturgia que se vale de um encontro familiar mal resolvido para abordar problemáticas cada vez mais frequentes na sociedade atual, como a falta de escuta, a percepção diante do outro, a solidão e a dificuldade de comunicação. Tudo isso em meio à situação extrema da morte. A adaptação para o cinema veio com o longa-metragem do premiado diretor canadense Xavier Dolan, com estreia no Brasil em 2016. Agora, a convite do Núcleo de Cinedramaturgia Dramátika, o texto recebe leitura cênica com direção de Renato Forin Jr. As duas produções – teatral e fílmica –, além de um bate-papo sobre a obra de Lagarce, serão apresentadas nos dias 29 e 30 de junho no Centro Cultural Sesi/AML, com entrada franca.

Longe de casa há mais de uma década, o misterioso Luiz vai ao encontro da mãe, da irmã, do irmão e da cunhada para informá-los que irá morrer em breve. No entanto, o roteiro idealizado pelo protagonista para a reunião familiar sai de seu controle assim que as mágoas, as memórias e as brigas do passado ressurgem de maneira implacável. Na leitura dramática, a casa da família é uma redoma fria, envolta por luzes de led e mobiliada com cadeiras giratórias, onde Luiz penosamente tenta, em vão, se reconhecer. A voz do personagem, inaudível aos próprios parentes, é amplificada por microfone.

“O tempo, a distância e as diferenças parecem ter cavado um abismo entre Luiz e sua família. Este não reconhecimento no outro, a falta de empatia, o sentir-se estrangeiro na própria casa, são metaforizados na leitura por um jogo de contrastes entre o barulho e o silêncio, a presença e a ausência, o riso e o lamento, o tecnológico e o artesanal”, explica o diretor Renato Forin Jr. A leitura traz no elenco os atores Dora Pires (A Mãe), Luana Rodrigues (Suzana), Murilo de Andrade (Antônio), Nathan Sinval (Luiz) e Simone Andrade (Catarina). A contrarregragem é de Gustavo Garcia, a assistência de cenografia é de Julio Vida e a operação técnica é de Laís Iracema Fernandes.

Um dos textos mais incensados da dramaturgia contemporânea francesa, “Apenas o fim do mundo” foi a primeira obra de Jean-Luc Lagarce publicada no Brasil. Em 2006, recebeu a primeira montagem no país pela Cia Brasileira de Teatro, com direção de Marcio Abreu e tradução de Giovana Soar. Esta versão foi lançada pela coleção Palco Sur Scène, publicada pela Imprensa Oficial de São Paulo. Já a produção cinematográfica de Xavier Dolan ganhou o Prêmio do Júri no Festival de Cannes de 2016. Com grande elenco, o filme traz Gaspard Ulliel (Louis), Marion Cotillard (Catherine), Léa Seydoux (Suzanne), Vincent Cassel (Antoine) e Nathalie Baye (A Mãe).

Na sexta-feira, dia 29 de junho, às 19 horas, o Centro Cultural Sesi/AML apresenta a leitura dramática. Já no sábado (30), a partir das 14 horas, haverá a exibição do filme, com um debate na sequência sobre as relações entre cinema e teatro. As atividades têm entrada gratuita.

Núcleo de Cinedramaturgia Dramátika

Com o objetivo de investigar as relações entre cinema, literatura e teatro, o Dramátika – iniciativa do Centro Cultural Sesi/AML em parceria com a produtora Kinopus –  é uma realização do Sesi Cultura Paraná por meio do programa Núcleos Criativos com coordenação do cineasta Rodrigo Grota. A proposta é promover um espaço de reflexão e criação por meio da dramaturgia base para as linguagens.

O projeto se divide em duas etapas: leitura dramática de textos teatrais e exibição de filmes, com ensaios, apresentação e gravação de esquetes (cenas curtas). Ao final do projeto, os cinco diretores convidados para conduzir os encontros irão apresentar esquetes criadas a partir do diálogo entre teatro e cinema. 

Serviço:
4º Encontro do Núcleo de Cinedramaturgia Dramátika no Sesi/AML
Leitura dramática da peça “Apenas o Fim do Mundo”, de Jean-Luc Lagarce, com direção de Renato Forin Jr.
Data: Sexta-feira, dia 29 de junho
Hora: às 19h

Exibição do filme “É apenas o fim do mundo”, de Jean-Luc Lagarce, com direção de Xavier Dolan, e bate-papo
Data: Sábado, dia 30 de junho
Hora: às 14h
Classificação: 16 anos
Valor: gratuito (retirar ingresso no local com 1 hora de antecedência)
Local: Centro Cultural Sesi/AML
Endereço: Rua Maestro Egídio Camargo do Amaral, 130 – Centro
Observação: sujeito a lotação

Dramátika apresenta Incêndios, do libanês Wajdi Mouawad, nessa sexta e sábado

O Núcleo de Cinedramturgia Dramátika apresenta nesse fim de semana a peça e o filme produzidos a partir do texto Incêndios (2003), do dramaturgo libanês radicado no Canadá, Wajdi Mouawad. Nesta sexta-feira, dia 01/06, às 19h, o Centro Cultural Sesi/AML promove uma leitura dramática do texto de Wajdi Mouawad com direção de Guilherme Peraro e participação de 10 atores do Núcleo de Cinedramaturgia Dramátika: Ana Teresa Corzanego Khatounian, Carol Alves, Dora Pires, Eliete Vanzo, Gustavo Garcia, Letícia Conde, Luiz Castelo Branco, Nathan Sinval, Rafael Guedes e Simone Andrade. No sábado (2), às 14h, haverá a exibição do filme de 2011 adaptado e dirigido pelo canadense Denis Villeneuve. Após a sessão, será realizado um bate-papo com o público a fim de analisar as relações entre cinema e teatro em torno da obra. Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do espaço uma hora antes dos encontros.

Sobre a peça Incêndios
De autoria do escritor libanês-canadense Wajdi Mouawad, o texto “Incêndios” é uma obra pós-dramática que tem instigado atores e diretores de teatro e cinema. Em 2011, rendeu indicação ao Oscar de melhor filme estrangeiro à adaptação do franco-canadense Denis Villeneuve. Em 2014, foi sucesso de crítica e público com a montagem teatral do brasileiro Aderbal Freire-Filho. Nos dias 1 e 2 de junho, a complexidade e riqueza dessa dramaturgia e de suas adaptações para o palco e as telas serão analisadas e experienciadas pelo Núcleo de Cinedramaturgia Dramátika. Os encontros são abertos ao público e possuem entrada franca. “A morte nunca é o fim de uma história”. A frase presente na obra de Mouawad acompanha o fio condutor da trama de “Incêndios”. O enredo entrelaça passado e futuro ao abordar o último desejo de uma imigrante árabe residente no Canadá: mandar seus filhos gêmeos, Jeanne e Simon, a uma jornada pelo Oriente Médio em busca de suas emaranhadas raízes. Nessa missão, em meio a guerras, amores e ódios, os jovens acabam desvendando o passado revolucionário da mãe.

Sobre o Dramátika
Com o objetivo de investigar as relações entre cinema, literatura e teatro, o Dramátika – iniciativa do Centro Cultural Sesi/AML em parceria com a produtora Kinopus  é uma realização do Sesi Cultura Paraná por meio do programa Núcleos Criativos idealizada e coordenada pelo cineasta Rodrigo Grota. A proposta é promover um espaço de reflexão e criação por meio da dramaturgia base para as linguagens. O projeto se divide em duas etapas: leitura dramática de textos teatrais e exibição de filmes, com ensaios, apresentação e gravação de esquetes (cenas curtas). Ao final do projeto, os cinco diretores convidados para conduzir os encontros irão apresentar esquetes criadas a partir do diálogo entre teatro e cinema.

Sobre o diretor Guilherme Peraro
Produtor, sócio-fundador da Kinopus, roteirista e diretor. Produtor dos longas Leste Oeste, Isto (não) é um Assalto!, Passagem Secreta e Las Preñadas, das séries de TV Brincando com a Ciência, Super Família e Cientistas Brasileiros; e de variados curtas, entre eles o curta Satori Uso, a coprodução com a França Mister H, e os docs Andrea Tonacci (Canal Brasil) e O Nadador (ESPN). Diretor dos curtas-metragens Pressa (2001) e Parque Guanabara (2013). Corroteirista do curta Parque Guanabara e do longa Sertão de Sangue.

Serviço:

3º Encontro do Núcleo de Cinedramaturgia Dramátika no Sesi/AML
Leitura dramática da peça “Incêndios”
Data: Sexta-feira, dia 1º de junho
Hora: às 19hs

Exibição do filme “Incêndios” com bate-papo
Data: Sábado, dia 2 de junho.
Hora: às 14h
Classificação: 16 anos

Valor: gratuito (retirar ingresso no local com 1 hora de antecedência)
Local: Centro Cultural Sesi/AML
Endereço: Rua Maestro Egídio Camargo do Amaral, 130 – Centro
Observação: sujeito à lotação.

Dramátika promove leitura e exibição da obra “Fando e Lis”

Após um mês de ensaios, o Núcleo de Cinedramaturgia Dramátika promove um segundo encontro, que começa nesta sexta-feira, dia 4 de maio, às 19 horas, no Centro Cultural Sesi/AML. Atores do Núcleo apresentarão ao público a leitura dramática da peça “Fando e Lis”, do dramaturgo espanhol Fernando Arrabal.


Escrita em 1955, em cinco atos, “Fando e Lis” explora o absurdo da convivência humana em seu limite. Fando conduz Lis, que é paralítica, em um carrinho. Eles seguem rumo a Tar. No caminho, eles encontram outros três personagens que também buscam a cidade mítica. O texto apresenta uma relação de amor e crueldade, com reflexões sobre liberdade, solidão, dependência, morte, e felicidade.

Sob direção de Jackeline Seglin, a leitura de “Fando e Lis” (texto traduzido e adaptado por Marcos Losnak) terá a participação de Andréa Finck, Carol Alves, Gustavo A. Garcia, Hígor Mejïa, Luana Karoline Santos, Murilo Andrade e Raquel Palma, todos integrantes do grupo de estudos Dramátika.

No sábado (5), às 14h, haverá a exibição do filme “Fando y Lis” (1968, 93 min), adaptação do chileno Alejandro Jodorowsky, com os atores Sergio Kleiner (Fando) e Diana Mariscal (Lis). Após a sessão, haverá um bate-papo com o público e uma análise dos participantes sobre a relação entre a peça e o filme. As atividades têm entrada gratuita.

Núcleo de Cinedramaturgia

Com o objetivo de investigar as relações entre cinema, literatura e teatro, o Dramátika, iniciativa do Centro Cultural Sesi/AML em parceria com a produtora Kinopus, é uma realização do Sesi Cultura Paraná por meio do programa Núcleos Criativos, sob coordenação do cineasta Rodrigo Grota. A proposta é promover um espaço de reflexão e criação por meio da dramaturgia base para as linguagens.

O projeto se divide em duas etapas: leitura dramática de textos teatrais e exibição de filmes, com ensaios, apresentação e gravação de esquetes (cenas curtas). Ao final do projeto, os cinco diretores convidados irão apresentar esquetes criadas a partir do diálogo entre teatro e cinema.

As cenas produzidas com os atores do Núcleo serão apresentadas ao público em dois formatos: peça de teatro e filme. De acordo com Grota, a intenção é promover uma leitura centrada em um dos instrumentos criativos de um ator. “Trata-se da construção de cada personagem a partir de sua sonoridade, incluindo nuances de voz, ritmo e interpretação”, explica.​

Serviço:

2º Encontro do Núcleo de Cinedramaturgia Dramátika no Sesi/AML

Data: 04/05 às 19h e 05/05 às 14h
Classificação: 16 anos
Valor: gratuito (retirar ingresso no local com 1 hora de antecedência)
Local: Centro Cultural Sesi/AML
Endereço: Rua Maestro Egídio Camargo do Amaral, 130 – Centro
Observação: sujeito a lotação

Dramátika inicia série de leituras com texto de Sam Shepard em abril

O Núcleo de Cinedramturgia Dramátika, uma parceria entre o Sesi Cultura Londrina e a produtora Kinopus, terá seu primeiro evento aberto ao público no dia 6 de abril, sexta-feira, a partir das 19h30: será realizada a leitura dramática da peça Loucos por Amor (Fool for Love, 1983), do dramaturgo norte-americano Sam Shepard. A leitura dramática da peça será realizada por 4 atores selecionados para o Núcleo Dramátika – a direção é do coordenador e idealizador do Núcleo, o cineasta Rodrigo Grota. No dia seguinte, 7 de abril, sábado, às 14h será exibido o filme Louco de Amor (1985, 106 min), adaptação da peça Fool for Love com direção de Robert Altman – no elenco principal, Sam Shepard, Kim Basinger e Harry Dean Stanton.  Após a exibição haverá um debate com Grota, os atores que participaram da leitura dramática, e os diretores que integram o Núcleo de Cinemdramaturgia este ano: Guilherme Peraro, Jackeline Seglin, Marina Stuchi e Renato Forin Jr. Tanto a leitura dramática quanto a exibição do filme e o debate são abertos ao público acima de 16 anos e contam com entrada gratuita (sujeita à lotação do espaço).

Sobre Fool for Love
Apresentada pela primeira vez em 1983 em San Francisco (com Ed Harris interpretando Eddie e Sam Shepard na direção), a peça acompanha o explosivo romance entre Eddie e May, um casal que não consegue permanecer junto nem se separar. Este texto conclui a série que Shepard escreveu entre os anos 1970 e 1980 sobre o universo da Família. Já o filme, dirigido por Robert Altman a partir de um roteiro de Shepard, foi indicado à Palma de Ouro no Festival de Cannes em 1986. Kim Basinger substituiu Jessica Lange, que estava grávida e não pôde participar das filmagens. Shepard atua apenas no filme, e não na peça.

Sobre Sam Shepard (1943-2017)
Dramaturgo, ator, encenador e realizador norte-americano, Samuel Shepard Rogers nasceu em Fort Sheridan a 5 de novembro de 1943. Filho de um oficial de aviação, cedo começou a trabalhar, tendo sido lavrador, criado e músico antes de se mudar para Nova Iorque. Aí começou a escrever peças teatrais e em 1964 estreou no Teatro Génesis a peça Cowboys (1964) onde pontificava o humor corrosivo e a sátira grotesca com personagens presos num passado mítico. Brevemente, Shepard tornou-se num dos autores preferidos da cultura pop dos anos 60: La Turista (1967) foi a sua primeira obra a ser representada na Broadway. Cedo vieram os convites para escrever roteiros para cinema: Me and My Brother (1969) surgiu primeiro, mas Zabriskie Point (1970) realizado por Michelangelo Antonioni foi o que lhe trouxe maior reconhecimento por parte da crítica especializada. Em 1971, mudou-se para Londres onde escreveu a ópera- rock The Tooth of Crime (1972), que esteve três anos em cena nos palcos londrinos: a peça é uma surrealista história de dois músicos de rock de diferentes gerações que lutam pelo domínio de um império, defrontando-se num duelo final de canções. Foi o seu amigo Bob Dylan quem o convenceu a tentar a carreira de ator: estreou em Renaldo and Clara (1978), um estranho filme dirigido por Dylan e que foi um estrondoso insucesso comercial. Nesse mesmo ano, entrou em Days of Heaven (Cinzas no Paraíso, 1978) de Terrence Mallick, desempenhando convincentemente o papel de um agricultor traído pela esposa. Em 1979, foi agraciado com o Prémio Pulitzer pela sua peça em três atos Buried Child. Na década de 80, Shepard continuou a conciliar a sua dupla faceta de dramaturgo e ator: durante as rodagens de Frances (1982) conheceu a atriz Jessica Lange, com quem iniciou uma longa relação afetiva. Foi um dos protagonistas de The Right Stuff (Os Eleitos, 1983) onde encarnou a figura de Chuck Yeager, o primeiro homem a ultrapassar a barreira do som. Com este papel, Shepard foi nomeado para um Óscar mas, estranhamente, a Academia remeteu-o para a categoria de Melhor Ator Secundário onde perdeu em detrimento de Jack Nicholson. Em 1984 viu o seu argumento de Paris, Texas (1984) ser agraciado com a Palma de Ouro do Festival de Cannes. Como ator, continuou a ser requisitado, participando em Country (1984), Crimes of the Heart (1986) e Steel Magnolias (1989). Em 1988, tentou enveredar pela realização, mas o seu primeiro esforço foi mal recebido pela crítica: Far North (1988), protagonizado por Jessica Lange primou pela inconsistência narrativa. O mesmo aconteceu com Silent Tongue (1994), apesar de contar no elenco com nomes credenciados, como Richard Harris, River Phoenix e Alan Bates. Desde então, concentrou-se na sua carreira de ator, surgindo em filmes de sucesso como The Pelican Brief (1993), Swordfish (2001), Black Hawk Down (2001), e Mud (2012). Ao falecer em julho de 2017, Sam Shepard deixou três filhos — Jesse, Hannah e Walker — e as irmãs Sandy e Roxanne.

Sobre o Dramátika
Idealizado pelo cineasta e roteirista Rodrigo Grota em parceria com o Sesi Cultura, o Núcleo de Cinedramaturgia DRAMÁTIKA terá a sua primeira edição em 2018 com o intuito de aproximar os profissionais de Cinema e Teatro de Londrina & região. Com o suporte logístico e técnico da produtora Kinopus, o Núcleo DRAMÁTIKA se divide em duas etapas: em sua primeira fase, serão realizadas cinco leituras dramáticas de textos teatrais, seguidas pela exibição de filmes que foram adaptados para o cinema a partir desses textos. Na segunda etapa do projeto, o coordenador do Núcleo DRAMÁTIKA, Rodrigo Grota e outros quatro diretores convidados vão conduzir os alunos na criação e desenvolvimento de 5 cenas curtas de até 15 minutos de duração. Essas 5 cenas serão escritas e dirigidas por estes diretores e contarão com no mínimo 2 e no máximo 5 atores entre os alunos selecionados para o Núcleo. Ao final desta segunda etapa, essas 5 cenas serão filmadas e apresentadas ao público em seus dois formatos finais: um filme de longa-metragem e uma peça de teatro. O projeto também conta com colaboração do diretor de arte Julio Vida e da figurinista Thaís Blanco“O Núcleo de Cinedramaturgia Dramátika nasce com o objetivo de estreitar as relações entre os profissionais de cinema e teatro de Londrina e região. A ideia é contribuir para que cada vez mais atores de teatro trabalhem também em projetos ligados ao audiovisual, ao integrar as duas linguagens”, explica Rodrigo Grota.

Dramátika – Inscrições abertas até domingo: curso para atores une cinema e teatro

Estão abertas até o dia 04 de março (domingo) as inscrições para o Núcleo de Cinedramaturgia Dramátika, que terá a primeira edição em 2018 no Centro Cultural SESI/AML. Idealizado pelo cineasta e roteirista Rodrigo Grota em parceria com o Sesi Cultura, o Núcleo de Cinedramaturgia DRAMÁTIKA terá a sua primeira edição em 2018 com o intuito de aproximar os profissionais de Cinema e Teatro de Londrina & região. Com o suporte logístico e técnico da produtora Kinopus, o Núcleo DRAMÁTIKA se divide em duas etapas: em sua primeira fase, serão realizadas cinco leituras dramáticas de textos teatrais, seguidas pela exibição de filmes que foram adaptados para o cinema a partir desses textos. Na segunda etapa do projeto, o coordenador do Núcleo DRAMÁTIKA, Rodrigo Grota, ao lado de outros quatro diretores convidados (Guilherme Peraro, Jackeline Seglin, Marina Stuchi e Renato Forin Jr.), vão conduzir os alunos na criação e desenvolvimento de 5 cenas curtas de até 15 minutos de duração.

Essas 5 cenas serão escritas e dirigidas por estes diretores e contarão com no mínimo 2 e no máximo 5 atores entre os alunos selecionados para o Núcleo. Ao final desta segunda etapa, essas 5 cenas serão filmadas e apresentadas ao público em seus dois formatos finais: um filme de longa-metragem e uma peça de teatro. O projeto também conta com colaboração do diretor de arte Julio Vida e da figurinista Thaís Blanco“O Núcleo de Cinedramaturgia Dramátika nasce com o objetivo de estreitar as relações entre os profissionais de cinema e teatro de Londrina e região. A ideia é contribuir para que cada vez mais atores de teatro trabalhem também em projetos ligados ao audiovisual, ao integrar as duas linguagens”, explica Rodrigo Grota.

De acordo com o cineasta, o Núcleo de Cinedramaturgia Dramátika não é destinado a diretores, roteiristas e/ou dramaturgos, e sim para atores e não-atores maiores de 18 anos, residentes de Londrina ou de outras cidades do Paraná. “As atividades têm caráter introdutório, dessa forma, os interessados que não têm experiência em atuação, ou que não são alunos de artes cênicas, também podem se inscrever. Trata-se de um curso essencialmente prático, tanto na primeira fase (leituras dramáticas) quanto na segunda (ensaios e gravações)”, diz.

As inscrições gratuitas vão até o dia 4 de março e podem ser feitas no site www.sesipr.org.br/cultura. Caso o proponente seja selecionado no ato da matrícula será cobrada uma taxa única de R$80,00, com pagamento via boleto bancário. Trabalhadores da indústria e seus dependentes terão 50% de desconto.

Sobre Rodrigo Grota – Ao longo da sua carreira, dirigiu 13 projetos, entre filmes e séries de TV, conquistando mais de 50 prêmios. Seus filmes foram exibidos em 14 países, incluindo sessões especiais na Cinemateca Francesa e em exposições de artes visuais no Japão e na França. Grota é sócio da produtora Kinopus, onde atualmente se dedica a projetos para Cinema e TV.

Sobre os diretores convidados

Guilherme Peraro
Produtor, sócio-fundador da Kinopus, roteirista e diretor. Produtor dos longas Leste Oeste, Assalto à Brasileira, Passagem Secreta e Las Preñadas, das séries de TV Brincando com a Ciência, Super Família e Cientistas Brasileiros; e de variados curtas, entre eles os filmes que integram a Trilogia do Esquecimento (Satori Uso, Booker Pittman, Hauro Ohara), a coprodução com a França Mister H, e os docs Andrea Tonacci (Canal Brasil) e O Nadador (ESPN). Diretor dos curtas-metragens Pressa e Parque Guanabara. Corroteirista do curta Parque Guanabara e do longa Sertão de Sangue.

Jackeline Seglin
Atriz, diretora de Produção, roteirista e diretora. Escreveu e dirigiu o curta-metragem O Retrato. Diretora de produção e produtora de finalização da série Super Família. Jornalista, atriz de teatro, fundadora da companhia teatral Boca de Baco, que já conta com mais de 25 anos de trajetória em Londrina, tendo participado de festivais nacionais e internacionais.

Marina Stuchi
Doutoranda em Estudos Literários pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Tem pesquisa na área de dramaturgia e cinema, analisando a linguagem cinematográfica na obra teatral de Nelson Rodrigues. Atua como produtora de cinema e publicidade, roteirista, produtora de elenco, produtora de set, atriz e professora de teatro.

Renato Forin Jr.,
Mestre e doutor em Letras pela UEL, com pesquisa ligada à canção e ao teatro contemporâneo. Realizou doutorado sanduíche no Institut d’Études Théâtrales, da Sorbonne Nouvelle. É dramaturgo, diretor e ator (DRT 30038) do Agon Teatro, grupo para o qual escreveu “OVO”, texto vencedor dos Prêmios Literários 2017. Jornalista, assina a coordenação de comunicação do Festival de Dança de Londrina. Em 2017, foi ganhador do Prêmio Jabuti (categoria Adaptação) com o livro-CD “Samba de Uma Noite de Verão”.

Sobre os Colaboradores do projeto

Júlio Vida é formado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Estadual de Londrina. Diretor de Arte da série de TV ficcional infantil Super-Família!, composta por 26 episódios de 13 minutos cada. A série deve estrear no circuito nacional de TVs públicas no 2º semestre de 2018. Diretor de arte dos curtas Pequenos Delitos, de Rodrigo Grota, e Astro Negro, de Gustavo Nakao, filmes que serão rodados no 1º semestre de 2018. Como cenógrafo, desde 2013 Julio Vida desenvolve trabalhos para exposições, peças teatrais e projetos ligados à moda.

Thais Blanco é graduada em Design de Moda pela UEL (Universidade Estadual de Londrina) e atua desde 2011 como figurinista em campanhas publicitárias e obras de audiovisual. Entre as principais realizações, destacam-se os trabalhos assinados em curtas metragens de produtoras locais e a assistência de figurino na série de TV “Super Família”, produzida pela Kinopus Audiovisual no ano de 2017.

Núcleo de Cinedramaturgia Dramátika
Inscrições: até 04/03 pelo site www.sesipr.org.br/cultura
Classificação: 18 anos
Valor: a inscrição é gratuita, porém, caso o proponente seja selecionado, no ato da matrícula será cobrada uma taxa única de R$80,00 via boleto bancário (trabalhadores da indústria e seus dependentes terão 50% de desconto).
Início dos encontros: março de 2018
Informações: sesiculturalondrina@sesipr.org.br
Local: Centro Cultural SESI/AML
Endereço: Rua Maestro Egídio Camargo do Amaral, 130 – Centro
Telefone: (43) 3322 3231

Mais informações:
http://www.sesipr.com.br/cultura/
https://www.facebook.com/sesiculturapr/