Estação Londrina: Saulo Ohara apresenta a obra do seu avô, Haruo Ohara

Haruo Ohara-149

O projeto Estação Londrina terá sua terceira edição no dia 27 de julho, quarta-feira, a partir das 19h30, na DaP – Divisão de Artes Plásticas da UEL, com um convidado especial: o fotógrafo londrinense Saulo Haruo Ohara. Neto do fotógrafo japonês Haruo Ohara (1909-1999), Saulo irá apresentar e comentar a obra do seu avô, possivelmente o nome mais importante da produção visual de Londrina. Nascido em 1909 no Japão, Haruo veio ao Brasil ainda muito jovem, chegando a Londrina logo no período da fundação da cidade. Ao longo de 5 décadas, Ohara produziu mais de 20 mil imagens de Londrina e região, acervo que está presente desde 2008 no Instituto Moreira Salles – IMS no Rio de Janeiro. Em 2003, os escritores londrinenses Rogério Ivano e Marcos Losnak lançaram a biografia ‘Lavrador de Imagens’. Entre 2009 e 2010, o Instituto Moreira Salles – Rio de Janeiro realizou uma exposição com as obras do Haruo que percorreu cidades como São Paulo, Rio de Janeiro e Londrina. Em 2010, o cineasta Rodrigo Grota lançou o curta-metragem Haruo Ohara no Festival de Cinema de Gramado, conquistando 5 prêmios, incluindo Melhor Filme e Melhor Fotografia. Em 2014, o Festival É Tudo Verdade / It’s All True criou um projeto gráfico composto apenas por fotos de Haruo. Em 2015, o canal NHK produziu dois documentários tematizando a obra de Ohara. Nesse mesmo ano, no Reino Unido, o acadêmico Ed King, da University of Cambridge, publicou o livro Virtual Orientalism in Brazilian Culture com destaque para análise da obra do fotógrafo nipo-brasileiro em um dos capítulos. Tendo sido elogiada já no blog do The New York Times, a obra de Haruo está sendo constantemente redescoberta, tanto que desde abril desse ano suas fotos têm percorrido Museus de Arte no Japão, em um projeto que já passou pela cidade de Kochi e agora está na cidade de Itami. Formado por professores e estudantes da UEL, o projeto Estação Londrina é coordenado por Frederico Fernandes, professor associado do Departamento de Letras da Universidade Estadual de Londrina. A ideia é promover encontros voltados à reflexão sobre a identidade cultural de Londrina em suas múltiplas manifestações. Criado em maio desse ano, o projeto é aberto a todos os interessados, e deve realizar eventos sobre a cultura local a cada 3 semanas em lugares variados. A Dap Plásticas – Divisão de Artes Plásticas da UEL, palco dessa terceira edição, fica na Avenida JK, 1973, no centro de Londrina. O evento tem entrada franca – estão todos convidados!

Advertisements

Sessão Kinopus traz 3 filmes londrinenses

tumblr_no7ahy8T5S1uph1r5o1_1280

A 12ª edição do projeto Sessão Kinopus exibe nessa terça, dia 26 de julho, a partir das 20h, no Centro Cultural Sesi (Praça 1º de Maio, 130, Centro) três filmes londrinenses: O Pequeno (2016, 40 min), de Luis Henrique Mioto; Samantha (2015, 14 min), de José Dias (Nanuk); e Senhora L (2015, 17 min), de Artur Ianckievicz (Sylvia, California Soul). O destaque fica para o média-metragem O Pequeno, que fará a sua estreia em Londrina. O filme foi rodado ao longo de quatro anos – Mioto já havia dirigido dois filmes antes para o Cineclube A Hora Mágica: Sagacidade (2012) e Retalhos do Chão, do Corpo e do Céu (2013). Após a sessão haverá um bate-papo informal com a presença dos realizadores. Coordenado pelos cineastas Guilherme Peraro e Rodrigo Grota, o cineclube Sessão Kinopus é uma parceria entre a produtora londrinense Kinopus e o Centro Cultural Sesi – o objetivo do projeto é promover em Londrina a exibição e discussão sobre produções locais e filmes que não estrearam no circuito comercial da cidade. Todas as sessões contam com entrada franca. A 13ª edição do cineclube Sessão Kinopus será no dia 16 de agosto com a exibição do documentário Hitchcock/Truffaut (2015, 79 min), de Kent Jones.