Sessão Kinopus exibe Persona, de Ingmar Bergman

Sessão Kinopus exibe nesta terça-feira, dia 3 de julho de 2018, a partir das 19h, o filme Persona (1966, 85 min), uma das obras mais aclamadas do realizador sueco Ingmar Bergman (1918-2007). A SK integra o cineclube da produtora Kinopus, será realizada no Centro Cultural Sesi – Associação Médica De Londrina (Praça 1º de Maio, 130, Centro – em frente à Concha Acústica), e conta com entrada franca – os ingressos podem ser retirados com 1 hora de antecedência no local. A classificação indicativa é para maiores de 18 anos. Logo após a sessão haverá um debate com o pesquisador de cinema da UEL, Gustavo Ramos de Souza, e o crítico de cinema e músico João Vitor Moreno – a mediação será do cineasta Rodrigo Grota.

Sobre Bergman
Nascido a 14 de julho de 1918 em Uppsala, Ernst Ingmar Bergman é autor de mais de 40 filmes ao longo de sete décadas, tendo conquistado os principais prêmios da história do cinema, incluindo o Oscar e as principais premiações nos festivais de Cannes, Berlim e Veneza. Com forte influência de dramaturgos como Strindberg, Shakespeare e Ibsen, Bergman realizou filmes centrados em temas como a ausência de Deus, a falência das relações afetivas, e os demônios internos dos seus personagens.

Parceiro de atores como Liv Ullmann, Erland Josephson, Max von Sydow, Bibi Andersson, Gunnar Björnstrand, Harriet Andersson e Ingrid Thulin, construiu uma das obras mais sólidas da história do cinema, com destaque para a impecável construção visual dos seus filmes, em parte realizados com o habitual diretor de fotografia Sven Nykvist. Sobre a sua parceria com os atores, disse Bergman em 1969: “Sem a força ou a iniciativa dos atores, sem o estímulo, a imaginação, a clareza intelectual, a competência dos atores que trabalham comigo, eu seria incapaz de realizar os roteiros que escrevo sozinho. Eles se apoderam desses roteiros e fazem deles sua propriedade”.

Exibido pela primeira vez na Suécia a 18 de outubro de 1966, Persona conquistou reconhecimento internacional. Inspirado na peça ‘A Mais Forte”, do dramaturgo August Strindberg, a trama mostra a atriz Elizabeth Vogler (Liv Ullmann) em crise – ela deixa de falar durante uma representação teatral de Electra. Seu mutismo em relação aos que a rodeiam é total, sendo então internada numa clínica. Não está doente, simplesmente optou pelo silêncio. Alma (Bibi Andersson), uma jovem enfermeira, fica encarregada de tratar dela. Quando, a conselho médico, as duas se isolam em uma ilha, passam a desenvolver uma intimidade e cumplicidade crescentes. Com isso se estabelece uma constante troca de identidades.

Bergman sobre Persona
As citações foram extraídas do livro “Imagens”, de Ingmar Bergman, obra lançada no Brasil em 1996 com tradução de Alexandre Pastor pela editora Martins Fontes:

“Que o cinema seja o meio por que me expresso, é absolutamente natural. Fiz-me compreender numa língua que passava ao lado da palavra de que carecia, da música que não sabia tocar, da pintura que me deixava indiferente. Subitamente tive a possibilidade de me corresponder com o mundo numa linguagem que literalmente fala da alma para a alma, em termos que, quase de maneira voluptuosa, escapam ao controle do intelecto.” (pag. 49)

“O fotógrafo Sven Nykvist e eu, originariamente, tínhamos pensado numa iluminação convencional para ambas as atrizes, Liv Ullmann e Bibi Andersson, mas não deu bom resultado. Concordamos então em pôr uma metade do rosto numa escuridão total, não havendo sequer uma luz de compensação. Depois, na parte final do monólogo, foi um passo natural combinar as duas metades iluminadas dos rostos, fazendo com que se integrassem numa só face. A maior parte das pessoas tem uma metade do rosto mais fotogênica que a outra. As fotografias meio iluminadas dos rostos de Liv e de Bibi que ligamos uma à outra mostram as suas metades feias. Quando recebi do laboratório o filme com esta duplicação, pedi a Liv e a Bibi que viessem ao estúdio de montagem. Surpresa, Bibi exclamou: ‘Como você está esquisita, Liv!’. E Liv por sua vez disse: ‘Mas essa cara é a sua, Bibi. É você que tem um ar esquisito!’ Quer dizer, ambas negaram espontaneamente as metades menos bonitas de seus rostos.” (pag. 61)

“Quando lemos o texto de Persona, talvez dê a impressão de ser uma improvisação. Mas não. Esse texto foi rigorosamente concebido. Apesar disso, nunca repeti tantas cenas em minha vida como nesse filme. E quando digo que repeti cenas, não quero dizer filmagens de uma e mesma cena, no mesmo dia, mas sim de novas filmagens por não ter ficado satisfeito com as seqüências reveladas de cada dia.” (pag. 64)

Sessão Kinopus é uma iniciativa independente da produtora Kinopus Audiovisual: o projeto conta com apoio do Sesi Cultura Paraná, e curadoria e produção dos cineastas Guilherme Peraro Rodrigo Grota. Criada em abril de 2015, a sessão tem como objetivo trazer a Londrina filmes que não entraram no circuito comercial, além de promover a exibição e reflexão sobre a produção local. Todas as sessões contam com entrada franca. A próxima SK, a edição n. 31, será no dia 21 de agosto, quando será exibido o filme Beduíno (2016, 75 min), do realizador brasileiro Júlio Bressane.

Advertisements

Núcleo de Cinedramaturgia DRAMÁTIKA apresenta ‘Apenas o fim do Mundo’

Escrito pelo francês Jean-Luc Lagarce em 1990, Apenas o Fim do Mundoé uma dramaturgia que se vale de um encontro familiar mal resolvido para abordar problemáticas cada vez mais frequentes na sociedade atual, como a falta de escuta, a percepção diante do outro, a solidão e a dificuldade de comunicação. Tudo isso em meio à situação extrema da morte. A adaptação para o cinema veio com o longa-metragem do premiado diretor canadense Xavier Dolan, com estreia no Brasil em 2016. Agora, a convite do Núcleo de Cinedramaturgia Dramátika, o texto recebe leitura cênica com direção de Renato Forin Jr. As duas produções – teatral e fílmica –, além de um bate-papo sobre a obra de Lagarce, serão apresentadas nos dias 29 e 30 de junho no Centro Cultural Sesi/AML, com entrada franca.

Longe de casa há mais de uma década, o misterioso Luiz vai ao encontro da mãe, da irmã, do irmão e da cunhada para informá-los que irá morrer em breve. No entanto, o roteiro idealizado pelo protagonista para a reunião familiar sai de seu controle assim que as mágoas, as memórias e as brigas do passado ressurgem de maneira implacável. Na leitura dramática, a casa da família é uma redoma fria, envolta por luzes de led e mobiliada com cadeiras giratórias, onde Luiz penosamente tenta, em vão, se reconhecer. A voz do personagem, inaudível aos próprios parentes, é amplificada por microfone.

“O tempo, a distância e as diferenças parecem ter cavado um abismo entre Luiz e sua família. Este não reconhecimento no outro, a falta de empatia, o sentir-se estrangeiro na própria casa, são metaforizados na leitura por um jogo de contrastes entre o barulho e o silêncio, a presença e a ausência, o riso e o lamento, o tecnológico e o artesanal”, explica o diretor Renato Forin Jr. A leitura traz no elenco os atores Dora Pires (A Mãe), Luana Rodrigues (Suzana), Murilo de Andrade (Antônio), Nathan Sinval (Luiz) e Simone Andrade (Catarina). A contrarregragem é de Gustavo Garcia, a assistência de cenografia é de Julio Vida e a operação técnica é de Laís Iracema Fernandes.

Um dos textos mais incensados da dramaturgia contemporânea francesa, “Apenas o fim do mundo” foi a primeira obra de Jean-Luc Lagarce publicada no Brasil. Em 2006, recebeu a primeira montagem no país pela Cia Brasileira de Teatro, com direção de Marcio Abreu e tradução de Giovana Soar. Esta versão foi lançada pela coleção Palco Sur Scène, publicada pela Imprensa Oficial de São Paulo. Já a produção cinematográfica de Xavier Dolan ganhou o Prêmio do Júri no Festival de Cannes de 2016. Com grande elenco, o filme traz Gaspard Ulliel (Louis), Marion Cotillard (Catherine), Léa Seydoux (Suzanne), Vincent Cassel (Antoine) e Nathalie Baye (A Mãe).

Na sexta-feira, dia 29 de junho, às 19 horas, o Centro Cultural Sesi/AML apresenta a leitura dramática. Já no sábado (30), a partir das 14 horas, haverá a exibição do filme, com um debate na sequência sobre as relações entre cinema e teatro. As atividades têm entrada gratuita.

Núcleo de Cinedramaturgia Dramátika

Com o objetivo de investigar as relações entre cinema, literatura e teatro, o Dramátika – iniciativa do Centro Cultural Sesi/AML em parceria com a produtora Kinopus –  é uma realização do Sesi Cultura Paraná por meio do programa Núcleos Criativos com coordenação do cineasta Rodrigo Grota. A proposta é promover um espaço de reflexão e criação por meio da dramaturgia base para as linguagens.

O projeto se divide em duas etapas: leitura dramática de textos teatrais e exibição de filmes, com ensaios, apresentação e gravação de esquetes (cenas curtas). Ao final do projeto, os cinco diretores convidados para conduzir os encontros irão apresentar esquetes criadas a partir do diálogo entre teatro e cinema. 

Serviço:
4º Encontro do Núcleo de Cinedramaturgia Dramátika no Sesi/AML
Leitura dramática da peça “Apenas o Fim do Mundo”, de Jean-Luc Lagarce, com direção de Renato Forin Jr.
Data: Sexta-feira, dia 29 de junho
Hora: às 19h

Exibição do filme “É apenas o fim do mundo”, de Jean-Luc Lagarce, com direção de Xavier Dolan, e bate-papo
Data: Sábado, dia 30 de junho
Hora: às 14h
Classificação: 16 anos
Valor: gratuito (retirar ingresso no local com 1 hora de antecedência)
Local: Centro Cultural Sesi/AML
Endereço: Rua Maestro Egídio Camargo do Amaral, 130 – Centro
Observação: sujeito a lotação

Sessão Kinopus exibe 3 curtas de diretoras londrinenses no dia 12/06 no Sesi

Sessão Kinopus exibe nessa terça, dia 12 de junho, três curtas dirigidos por realizadoras de Londrina: os filmes Dona Vilma (doc, 28 min, 2016), de Vanessa Santos de Oliveira; A Última Dança (fic, 10 min, 2014), de Eliete Vanzo, além do curta Passo Cruzado (fic, 12 min, 2018), de Vivian Campos, que terá a sua primeira exibição para o público.

A 29ª edição do projeto Sessão Kinopus será realizada a partir das 19h30, no Centro Cultural Sesi – Associação Médica De Londrina (Praça 1º de Maio, 130, Centro – em frente à Concha Acústica), e conta com entrada franca – os ingressos podem ser retirados com 1 hora de antecedência no local. A classificação indicativa é para maiores de 14 anos. Logo após a sessão haverá um debate com as realizadoras presentes.

Confira abaixo a sinopse e ficha técnica de cada um dos curtas:

DONA VILMA

Sinopse
O filme conta a história de Vilma Santos de Oliveira, também conhecida como Yá Mukumby, passando por sua trajetória pessoal, política e religiosa, com destaque para sua participação na instauração do processo de cotas na Universidade Estadual de Londrina. A direção é de Vanessa Santos de Oliveira, filha de Dona Vilma.
Infos
O curta foi produzido ao longo de aproximadamente dois anos. As entrevistas foram gravadas no segundo semestre de 2015 e a edição e a busca por materiais de arquivo consumiu quase todo o ano de 2016. A primeira exibição do documentário aconteceu no Dia da Consciência Negra, como parte da programação da 18ª Edição do Festival Kinoarte de Cinema em Londrina.
Ficha Técnica
Produtoras: Kinoarte, Filmes do Leste
Direção: Vanessa Santos de Oliveira
Produção: Bruno Gehring
Roteiro: Artur Ianckievicz
Direção de Fotografia: Anderson Craveiro
Direção de Arte: Felipe Augusto
Som: Vinicius Rett, Artur Ianckievicz
Montagem: Flavia Fodra, Artur Ianckievicz
Patrocínio: Prefeitura de Londrina via Promic – Programa Municipal de Incentivo à Cultura
Teaser
https://youtu.be/g1mT9lYig1k
Página no Facebook
https://www.facebook.com/donavilmadoc/?pnref=story

A ÚLTIMA DANÇA

Sinopse
O filme conta a história de Ernesto (Apolo Theooro), um agricultor aposentado que é grande apreciador do ritmo envolvente e delicado da valsa, enquanto sua esposa, Tereza (Ciça Guirado), é uma dona de casa dedicada que sofre de um transtorno de personalidade.
Infos
Filme produzido pelos alunos da Pós Graduação em Produção e Criação Audiovisual da Faculdade Pitágoras. Premiado como Melhor Curta (Júri oficial e Júri Popular) na Competitiva Londrinense do Festival Kinoarte de Cinema em 2014.
Ficha Técnica
Direção e Roteiro: Eliete Vanzo
Elenco: Apolo Theodoro, Ciça Guirado e Padre Dirceu Fumagalli (participação especial)
Direção de Fotografia: Gisele Oliveira, Tatiana Ribeiro e Tiago Gouveia
Direção de Arte: Ariana Mercadante, Arthur Santana, Jemima Lima Fernandes e Nereu Ramos
Som Direto: Aguinaldo Silva, João Bolfe Lopes e Joabe Vieira da Cosra
Direção de Produção: Bruno Franco dos Santos, Flávio de Souza e Jaqueline Deodato
Professores: Bruno Bergamo (som), Bruno Gehring (produção), Camila Melara (arte), Guilherme Gerais (fotografia), Luciano Pascoal (coordenação da pós) e Rodrigo Grota (direção, roteiro e montagem)
Realização: Pós Graduação em Produção e Criação Audiovisual da Faculdade Pitágoras

PASSO CRUZADO

Sinopse
Durante uma noite de festa, o filme retrata as nuances do relacionamento entre mãe (Elvira Alegre) e filha (Raquel Santanna), semelhanças e contrastes entre duas gerações evidenciados através da história de duas mulheres que pretendiam se divertir juntas, mas acabam sendo levadas ao ápice de conflitos que extrapolam as paredes do salão.
Infos
Filmado na cidade de Londrina em Novembro de 2017, uma coprodução dos alunos da Pós Graduação em Produção e Criação Audiovisual da Faculdade Pitágoras e da produtora NTV Cine Video. O projeto contou com apoio do Valentino Bar, Bolos da Vovó Maria, Sanepar, M2 Mídia Urbana e Gráfica Pama. Agradecimentos especiais a Silvia Sitta, Valdomiro Chamé e Alessandra Pajolla (locações), Evelize Chaiben (maquiagem), Renata Cabrera (making of) e, sobretudo, a Otávio Pelisson, ator convidado para interpretar uma drag queen e hostilizado no trajeto para o set.
Ficha Técnica
Direção e Roteiro: Vivian Campos
Elenco: Raquel Santana, Elvira Alegre, Igor Silva, Ju Gatez e Banda Sarará Criolo
Direção de Produção: Aleksa Marques
Assistente de Direção: Alessandra Pajolla
Assistente de Produção: Érica Paula Bolonhesi Tsukamoto, Igor Brandão, Tiago Jungo e Tiago Silva
Continuísta: Matheus Vilela
Direção de Fotografia: Nilton Kenji Tanabe
Assistente de Fotografia: Kelly Teixeira
Direção de Arte: Érica Paula Bolonhesi Tsukamoto, Igor Brandão e Tiago Silva
Figurino: Aleksa Marques e Alessandra Pajolla
Trilha Sonora: Banda Sarará Criolo
Som Direto: Aleksa Marques
Assistente de Som Direto: Tiago Jungo
Montagem: Aleksa Marques
Making of e fotos still: Renata Cabrera
Professores: Guilherme Peraro (pré-produção), Rodrigo Grota (roteiro, direção e montagem), Bruno Bergamo (som direto), Camila Melara (arte), Otávio Santos (pós-produção de som), Anderson Craveiro (fotografia) e Maikon Nery (projeto gráfico).

Sessão Kinopus é uma iniciativa independente da produtora Kinopus Audiovisual: o projeto conta com apoio do Sesi Cultura Paraná, e curadoria e produção dos cineastas Guilherme Peraro Rodrigo Grota. Criada em abril de 2015, a sessão tem como objetivo trazer a Londrina fimes que não entraram no circuito comercial, além de promover a exibição e reflexão sobre a produção local. Todas as sessões contam com entrada franca. A próxima SK, a edição n. 30, será no dia 3 de julho e exibirá o filme Persona (1966, 85 min), em homenagem ao centenário de nascimento do realizador sueco Ingmar Bergman (1918-2007). No dia 21 de agosto, será exibido o filme Beduíno (2016, 75 min), de Júlio Bressane.

Dramátika apresenta Incêndios, do libanês Wajdi Mouawad, nessa sexta e sábado

O Núcleo de Cinedramturgia Dramátika apresenta nesse fim de semana a peça e o filme produzidos a partir do texto Incêndios (2003), do dramaturgo libanês radicado no Canadá, Wajdi Mouawad. Nesta sexta-feira, dia 01/06, às 19h, o Centro Cultural Sesi/AML promove uma leitura dramática do texto de Wajdi Mouawad com direção de Guilherme Peraro e participação de 10 atores do Núcleo de Cinedramaturgia Dramátika: Ana Teresa Corzanego Khatounian, Carol Alves, Dora Pires, Eliete Vanzo, Gustavo Garcia, Letícia Conde, Luiz Castelo Branco, Nathan Sinval, Rafael Guedes e Simone Andrade. No sábado (2), às 14h, haverá a exibição do filme de 2011 adaptado e dirigido pelo canadense Denis Villeneuve. Após a sessão, será realizado um bate-papo com o público a fim de analisar as relações entre cinema e teatro em torno da obra. Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do espaço uma hora antes dos encontros.

Sobre a peça Incêndios
De autoria do escritor libanês-canadense Wajdi Mouawad, o texto “Incêndios” é uma obra pós-dramática que tem instigado atores e diretores de teatro e cinema. Em 2011, rendeu indicação ao Oscar de melhor filme estrangeiro à adaptação do franco-canadense Denis Villeneuve. Em 2014, foi sucesso de crítica e público com a montagem teatral do brasileiro Aderbal Freire-Filho. Nos dias 1 e 2 de junho, a complexidade e riqueza dessa dramaturgia e de suas adaptações para o palco e as telas serão analisadas e experienciadas pelo Núcleo de Cinedramaturgia Dramátika. Os encontros são abertos ao público e possuem entrada franca. “A morte nunca é o fim de uma história”. A frase presente na obra de Mouawad acompanha o fio condutor da trama de “Incêndios”. O enredo entrelaça passado e futuro ao abordar o último desejo de uma imigrante árabe residente no Canadá: mandar seus filhos gêmeos, Jeanne e Simon, a uma jornada pelo Oriente Médio em busca de suas emaranhadas raízes. Nessa missão, em meio a guerras, amores e ódios, os jovens acabam desvendando o passado revolucionário da mãe.

Sobre o Dramátika
Com o objetivo de investigar as relações entre cinema, literatura e teatro, o Dramátika – iniciativa do Centro Cultural Sesi/AML em parceria com a produtora Kinopus  é uma realização do Sesi Cultura Paraná por meio do programa Núcleos Criativos idealizada e coordenada pelo cineasta Rodrigo Grota. A proposta é promover um espaço de reflexão e criação por meio da dramaturgia base para as linguagens. O projeto se divide em duas etapas: leitura dramática de textos teatrais e exibição de filmes, com ensaios, apresentação e gravação de esquetes (cenas curtas). Ao final do projeto, os cinco diretores convidados para conduzir os encontros irão apresentar esquetes criadas a partir do diálogo entre teatro e cinema.

Sobre o diretor Guilherme Peraro
Produtor, sócio-fundador da Kinopus, roteirista e diretor. Produtor dos longas Leste Oeste, Isto (não) é um Assalto!, Passagem Secreta e Las Preñadas, das séries de TV Brincando com a Ciência, Super Família e Cientistas Brasileiros; e de variados curtas, entre eles o curta Satori Uso, a coprodução com a França Mister H, e os docs Andrea Tonacci (Canal Brasil) e O Nadador (ESPN). Diretor dos curtas-metragens Pressa (2001) e Parque Guanabara (2013). Corroteirista do curta Parque Guanabara e do longa Sertão de Sangue.

Serviço:

3º Encontro do Núcleo de Cinedramaturgia Dramátika no Sesi/AML
Leitura dramática da peça “Incêndios”
Data: Sexta-feira, dia 1º de junho
Hora: às 19hs

Exibição do filme “Incêndios” com bate-papo
Data: Sábado, dia 2 de junho.
Hora: às 14h
Classificação: 16 anos

Valor: gratuito (retirar ingresso no local com 1 hora de antecedência)
Local: Centro Cultural Sesi/AML
Endereço: Rua Maestro Egídio Camargo do Amaral, 130 – Centro
Observação: sujeito à lotação.

Sessão Kinopus exibe Trama Fantasma nesta terça às 19h no Sesi

A 28ª edição do projeto Sessão Kinopus traz a Londrina o filme Trama Fantasma (Phantom Thread, 2018, 130 min), do premiado cineasta norte-americano Paul Thomas Anderson, conhecido pelos filmes Magnolia (1999) e O Mestre (2012). A exibição será nesta terçadia 08 de maioàs 19h, no Centro Cultural Sesi/AML(Praça 1º de Maio, 130, em frente à Concha Acústica), em Londrina. A sessão conta com entrada franca e é inadequada para menores de 12 anos. Após o filme, haverá um bate-papo com o crítico de cinema João Vítor Moreno.

Vencedor do Oscar de Melhor Figurino para Mark Bridges, o filme conta com Daniel Day-Lewis, Vicky Krieps e Lesley Manville no elenco principal. O filme, aliás, marca o fim da carreira do ator Daniel Day-Lewis, vencedor de 3 Oscars de Melhor Ator. Em Trama Fantasma, Day-Lewis é Reynolds Woodcock, um renomado estilista que trabalha ao lado de sua irmã para vestir grandes nomes da realeza britânica. Sua inspiração surge através das mulheres que entram e saem de sua vida, mas tudo muda quando ele conhece Alma, que vira sua musa.

Coordenada por Guilherme Peraro e Rodrigo Grota, a Sessão Kinopus é uma iniciativa independente da produtora Kinopus em parceria com o SESI Paraná. Criada em abril de 2015, a SK promoveu 27 sessões ao longo de 3 anos – o objetivo é trazer a Londrina filmes que não chegaram ao circuito comercial, promover estreias de curtas locais, e fomentar o debate sobre o cinema e a sua linguagem. Todas as sessões contam com entrada franca e são seguidas por um debate com convidados. A curadoria é realizada por Grota, Peraro, e eventualmente conta com a colaboração do crítico de cinema João Vítor Moreno.

A edição n. 29 da SK será realizada no dia 12 de junho, terça-feira, a partir das 19h – serão exibidos 3 curtas londrinenses dirigidos por mulheres: Grünstadt, de Celina Becker; A Manicure, de Marina Stuchi; e Passo Cruzado, de Vivian Campos. Após a sessão, haverá um bate-papo com as realizadoras sobre a produção dos três filmes.

Dramátika promove leitura e exibição da obra “Fando e Lis”

Após um mês de ensaios, o Núcleo de Cinedramaturgia Dramátika promove um segundo encontro, que começa nesta sexta-feira, dia 4 de maio, às 19 horas, no Centro Cultural Sesi/AML. Atores do Núcleo apresentarão ao público a leitura dramática da peça “Fando e Lis”, do dramaturgo espanhol Fernando Arrabal.


Escrita em 1955, em cinco atos, “Fando e Lis” explora o absurdo da convivência humana em seu limite. Fando conduz Lis, que é paralítica, em um carrinho. Eles seguem rumo a Tar. No caminho, eles encontram outros três personagens que também buscam a cidade mítica. O texto apresenta uma relação de amor e crueldade, com reflexões sobre liberdade, solidão, dependência, morte, e felicidade.

Sob direção de Jackeline Seglin, a leitura de “Fando e Lis” (texto traduzido e adaptado por Marcos Losnak) terá a participação de Andréa Finck, Carol Alves, Gustavo A. Garcia, Hígor Mejïa, Luana Karoline Santos, Murilo Andrade e Raquel Palma, todos integrantes do grupo de estudos Dramátika.

No sábado (5), às 14h, haverá a exibição do filme “Fando y Lis” (1968, 93 min), adaptação do chileno Alejandro Jodorowsky, com os atores Sergio Kleiner (Fando) e Diana Mariscal (Lis). Após a sessão, haverá um bate-papo com o público e uma análise dos participantes sobre a relação entre a peça e o filme. As atividades têm entrada gratuita.

Núcleo de Cinedramaturgia

Com o objetivo de investigar as relações entre cinema, literatura e teatro, o Dramátika, iniciativa do Centro Cultural Sesi/AML em parceria com a produtora Kinopus, é uma realização do Sesi Cultura Paraná por meio do programa Núcleos Criativos, sob coordenação do cineasta Rodrigo Grota. A proposta é promover um espaço de reflexão e criação por meio da dramaturgia base para as linguagens.

O projeto se divide em duas etapas: leitura dramática de textos teatrais e exibição de filmes, com ensaios, apresentação e gravação de esquetes (cenas curtas). Ao final do projeto, os cinco diretores convidados irão apresentar esquetes criadas a partir do diálogo entre teatro e cinema.

As cenas produzidas com os atores do Núcleo serão apresentadas ao público em dois formatos: peça de teatro e filme. De acordo com Grota, a intenção é promover uma leitura centrada em um dos instrumentos criativos de um ator. “Trata-se da construção de cada personagem a partir de sua sonoridade, incluindo nuances de voz, ritmo e interpretação”, explica.​

Serviço:

2º Encontro do Núcleo de Cinedramaturgia Dramátika no Sesi/AML

Data: 04/05 às 19h e 05/05 às 14h
Classificação: 16 anos
Valor: gratuito (retirar ingresso no local com 1 hora de antecedência)
Local: Centro Cultural Sesi/AML
Endereço: Rua Maestro Egídio Camargo do Amaral, 130 – Centro
Observação: sujeito a lotação

Leste Oeste abre Mostra de Cinema nesta quarta, dia 2, no Shopping Royal

O longa-metragem Leste Oeste, uma produção da Kinopus com direção de Rodrigo Grota, será exibido em Londrina nesta quarta, dia 2 de maio, às 20h, na Sala 4 dos Cinemas Lumière no Royal Plaza Shopping. A exibição marca a abertura da 1ª edição em Londrina da Mostra “O Amor, a morte e as paixões”, uma realização dos Cinemas Lumière. A Mostra traz a Londrina 35 longas inéditos na cidade, com destaque para produções independentes premiadas em festivais.

A trama de Leste Oeste acompanha o percurso de Ezequiel, um piloto de testes que retorna à sua cidade natal após 15 anos. Interpretado pelo ator gaúcho Felipe Kannenberg (Menos que Nada), Ezequiel reencontra três figuras do seu passado: Stela, um antigo affair da juventude, interpretada pela atriz paulista Simone Iliescu (RiocorrenteCores); Angelo (José Maschio), o patriarca da família, o pai com o qual Ezequiel nunca se entendeu; e Pedro, 16 anos, jovem que sonha em ser piloto profissional, interpretado pelo piloto londrinense Bruno Silva. Produzido com patrocínio da Prefeitura de Londrina, e com o apoio de mais de 40 empresas locais, Leste Oeste é o primeiro longa-metragem feito em Londrina com equipe local e elenco em grande parte londrinense: “Com exceção da Simone Iliescu e do Felipe Kannenberg, que vieram de fora, todo o elenco do filme é londrinense. Para nós, produzir um longa em Londrina com a maioria da equipe local significa um grande passo, pois iniciamos a nossa produção de filmes em 1998 e só agora, após 20 anos e mais de 50 curtas, conseguimos viabilizar o nosso primeiro longa-metragem”, destaca Guilherme Peraro, produtor do filme e sócio fundador da Kinopus, produtora criada em Londrina em 2004 e que realizou a produção de Leste Oeste.

Filme estreia nas Salas de Cinema este ano

Essa será a sétima exibição do longa-metragem Leste Oeste em Londrina desde agosto de 2016, quando o filme teve a sua pré-estreia na cidade. Antes da exibição, o filme será apresentado pelo diretor e roteirista Rodrigo Grota, pelo produtor Guilherme Peraro. Rodado em novembro e dezembro de 2014, “Leste Oeste” é uma produção da Kinopus Audiovisual com patrocínio da Prefeitura de Londrina via Promic (Programa Municipal de Incentivo à Cultura). Desde que foi exibido pela primeira vez em 7 de maio de 2016, o filme conquistou 8 prêmios (incluindo premiações nos EUA, Holanda e México), e foi exibido em 20 cidades brasileiras e 7 países (Colômbia, EUA, Holanda, Índia, Inglaterra, México e Polônia). Ainda no 1º semestre, o filme vai estrear nas salas de cinema em Circuito Nacional com distribuição da própria Kinopus. A distribuição internacional do filme é da Adler & Associates Entertainment, Inc. Nos EUA e na Inglaterra, o filme já pode ser visto na plataforma de streaming da Amazon.

Equipe 

Leste Oeste conta com roteiro, direção e montagem de Rodrigo Grota (Trilogia do Esquecimento), produção de Guilherme Peraro e Roberta Takamatsu, direção de fotografia de Guilherme Gerais, direção de arte de José de Aguiar, trilha sonora de Rodrigo Guedes, figurinos de Mayhara Nogueira, desenho de som de Alexandre Rogoski, som direto de Bruno Bergamo, maquiagem de Evelise Chaiben, projeto gráfico de Yan Sorgi, assistência de direção de Rafael Ceribelli, Carlos Fofaun e João Mussato, assistência de produção de Marina Stuchi e Lucas Pullin, assistência de som direto de Eduardo Lopes Touché e Giovani Nori, assistência de arte de Camila Melara & Hígor Mejïa, e assistência de fotografia de Gustavo Nakao, Arthur Ribeiro, Ricardo Costa Barros (Carioca), Elizeo Garcia (still) e Lucas Meyer (câmera adicional).

Serviço
Exibição do longa-metragem Leste Oeste 
Dia 02/05, às 20h, na Sala 4 dos Cinemas Lumière, no Royal Plaza Shopping
Classificação indicativa: conteúdo inadequado para menores de 16 anos.